sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Um Natal mais simples!


Este ano fizemos um acordo de família. Se estamos em crise, se para o ano vai doer ainda mais, vamos tomar medidas antecipadas.

Então é assim, este ano as prendas são só para as crianças.

Tenho andado aqui a pensar, e, se eu ando a tentar simplificar a minha vida (inspirada pela Rita) porque é que vou andar a trocar tralhas na noite de Natal?

Na maior parte das vezes, e não é por mal que fazemos, oferecemos coisas que achamos necessárias mas, se calhar, não são assim tão precisas. Essas coisas acabam muitas vezes no fundo de um armário.

Por vezes, empregamos tão mal o nosso dinheiro!

Por isso, este ano, nós os "grandinhos", vamos abdicar dos presentes, mas não vamos abdicar da alegria, do bacalhau, do polvo (para quem não quer bacalhau), das doçuras, das travessuras, da cara de felicidade dos meninos que rasgam os papeis dos presentes, do calorzinho da lareira, das piadas, enfim... da felicidade.

Ao menino cá de casa, já disse que tem de escolher alguns brinquedos, para outros meninos que também querem prendas de Natal e não têm a mesma sorte que ele tem. Apesar da crise, os pais deste menino ainda tem trabalho e ordenado ao fim do mês. Ele ainda pode ter certos luxos que se calhar muitos não têm.

Não me sinto triste por não ter prendas de Natal, até sinto um certo alívio. Com certeza vai ser o Natal, mais Natal que já vivi, sem consumismos... vai ser o verdadeiro Natal!

O Pai Natal da imagem não é para deixar ninguém triste, é só para mostrar que nos podemos rir, mesmo nas épocas de crise. Também já estava na altura do Pai Natal fazer dieta!;)

22 comentários:

Ana disse...

Isso! Se calhar, a crise é um mal que vem por bem, pondo as pessoas a repensar as suas prioridades e a viver, muito provavelmente, um Natal mais verdadeiro, porque menos consumista.

Ana disse...

Ah, e quanto ao Pai Natal...razão tem a minha filha, que diz que ele já deixava de beber tanta Coca-cola! lololol

Carla disse...

Eu também ficaria mais aliviada se não tivesse de oferecer presentes este ano.
Em anos anteriores por esta altura, já tinha quase todos os presentes comprados. Este ano não dá mesmo, e nem sequer penso muito nisso. Também o aniversário da minha filha que se avizinha vai ser muito simples e com menos gente.

Pode ser que volte mesmo a ser um bocadinho como era antes :) Tenho fé.

Beijinhos

Sissamar disse...

Na minha família todos os anos se fala do mesmo e depois é o que se vê... uma árvore a vomitar embrulhos!
Não sou muito a favor de só as crianças receberem, até porque as crianças estão atoladas de brinquedos aos quais não ligam nenhuma e volta e meia lá vem uma avó estragar o esquema todo e oferecer um prendinha quase de cada vez que os vê. Sou mais apologista do amigo secreto e assim toda a gente tem direito á sua prendinha, afinal de contas quem não gosta de receber um presente? Mas a família não acha bem (nem eles conseguem explicar porque) e então todos os anos, parece que é ao despique para ver quem consegue dar mais, e maior e gastar mais e vangloriar-se disso, mesmo que esses presentes não tenham serventia nenhuma ou até mesmo que depois esses presentes fiquem arrumadinhos nas caixas (como tenho algumas) sem utilidade nenhuma e até, veja-se o cumulo, por já ser a 2ª vez que a mesma pessoa nos oferece um presente igual!!! Já há muito que me coloquei á parte desta loucura, primeiro pq não posso competir com eles, depois pq tb não quero e por fim, pq prefiro gastar esses rios de dinheiro com a minha família nuclear (eu, marido e filhota). É por estas e por outras que mais uma vez digo que detesto o Natal...
Beijinho e bom fim de semana!

An@ disse...

Este ano já pensei no mesmo... prendas só para as crianças!

Afinal o espírito de Natal, as luzes, a magia, a família, não há prenda que pague ou compense isso!!!

Beijos
Um bom fim de semana

A Produtora de Paparoca disse...

Concordo. Eu e o meu noivo tentamos o ano passado não trocar prendas, mas não tivemos êxito. Este vamos tentar novamente.
Por parte da minha família tivemos muitos anos em que não se trocava prendas. Desde que passo o natal com a família do meu noivo, voltou-se à troca de prendas. Com a crise a vida é mais complicada e gostava de voltar à tradição de não trocar prendas.
Tenho uma amiga em que a família do namorado não tem a tradição da troca de prendas...aliás penso que o espírito é a união, a amizade e convívio.
Bom fim-de-semana.
Bjnhos :)***

Natacha disse...

Pois, eu estou com a Sissamar... na minha família é exactamente igual, tudo ao despique para ver quem dá o presente mais caro; até ao ano passado ainda dei presentes, mas sempre simbólicos; este ano, nem me vou dar a esse trabalho; e se alguém fizer cara feia, vou dizer com todas as letras que não há dinheiro. Escapam os meus filhos e (talvez) o meu marido!


Bjinhos!!

Maria disse...

Este ano também só dou prendas a crianças. Aos restantes (pais, irmãos, sogros e cunhados) vou oferecer cabazes feitos por mim. Têm mais significado e utilidade. E de resto, uma mesa recheada e alegria é que se quer!! Afinal é isso que é o Natal, não é??

Conquistando a Organização disse...

Cá em casa também vai ser assim.
Só para as crianças.
Isto está cada vez pior. Há que deixar de futilidades e pensarmos no essencial.

Teresa disse...

Já no ano anterior não dei prendas e este ano irei fazer o mesmo apenas ao meeu filho e sobrinhos.

Não deveriamos apenas transformar este Natal em Natal e n em consumismo, mas sim tds os Natais!

Para que cada vez se dê a devida importância que a época exige.

Mafalda S. disse...

Sinceramente gostava que por estes lados também fosse assim. Nem é só pelo dinheiro, é pelo acumular de tralha cá em casa.

Não deixa de ser uma excelente ideia!

Beijinho

Lisa disse...

Na nossa familia decidimos o mesmo e tenho a certeza que vai ser um feliz natal na mesma!
Bjs

Cristiana disse...

pois eu já faço assim há dois anos por opção mesmo, tenho feito para os adultos é uns miminhos para cada casa, há dois anos foi uma cx de chocolates por casa o ano passado foi ainda mais restrito e foi um mini cabaz com coisinhas que essas pessoas adoram (uns queijinhos, e por ai)muito pessoais mesmo.
Este ano como entramos na aventura dos bolos decorados e das bolachinhas vai mesmo por ai e a crinçada vai toda corrida a livros pois acho que é uma estupidez tantos brinquedos sem utilidade nenhuma
beijinhos bom fds.

Ana disse...

Eu ja a cerca de 3 anos que não dou prendes a ninguém, prendas mesmo só para os de casa pois a vida não está para se gastar dinheiro a toa, eu digo sempre que não me dêem prendas pois eu também não as vou dar. Eu adoro o Natal, para mim é uma altura muito importante.

Luísa disse...

Por cá já há uns anos que é assim um Natal, mais Natal ;-)
As crianças só recebem dois presentes na manhã de Natal, um nosso, outro dos avós e os adultos recebem um miminho geralmente feito por cá.
Divertimo-nos imenso e não são necessários os presentes apenas a companhia uns dos outros.... e a magia continua no ar ;-)
beijinhos

Rita @ the busy minimalist and the stripy cat disse...

É isso mesmo! Presentes vai ser só uma coisinha para os miúdos, mas algo útil, nada de tralha! Mas o que me está a preocupar mais são as festas de anos deles... Eu não quero que os outros miúdos ofereceram prendas, mas se vou dizer isso aos pais, ficam a pensar que nós não batemos bem da cabeça... mas recuso-me a deixar entrar tralha em casa... não sei o que fazer...

GiGi disse...

Concordo plenamente..

Por estes lados as prendinhas são para as crianças e essencialmente roupa.

Sim ao espírito Natalicio, não ao consumismo desenfreado!

Dama das Camélias disse...

mos com sérias dificuldades em pensar na sua prenda.

Se esta crise trás algo de positivo, talvez seja juntar algumas famílias no seu verdadeiro ser, e deixar que cada um perceba o que realmente precisa para ser feliz.

Quotidianos de seda disse...

Há 3 anos que faço isso e não estou nada arrependida. Até agora só vejo vantagens:

- Gasto menos dinheiro
- Gasto menos tempo
- Canso-me menos
- Evito aquele horror consumista que é andar feita doida no meio da confusão

Também costumo visitar a Rita, exactamente porque me identifico com ela...antes da Rita era o Thoreau...VIVA A SIMPLICIDADE.

Felicidades.

Rita @ the busy minimalist and the stripy cat disse...

Quotidianos de seda, também quero ler Thoreau!

Anónimo disse...

Olá! Não posso dizer que discordo a 100% da vossa opinião e sugestão, no entanto, creio que o espírito do natal está na partilha, de amor, pois sim, mas eu não abdico de oferecer e trocar com os meus entes queridos e dois ou três amigos bem chegados com quem costumamos trocar presentes, coisas simples. Este ano, e dada a crise, o meu presente especial vai, claro está, e daí concordar convosco, para as crianças, mas vou oferecer tb géneros aos adultos. Isto consiste numa espécie de cabaz de natal, pela qual sei que vão agradecer. Esta oferta incluirá coisas como bacalhau, azeite, um licor caseiro feito por mim, uma compota caseira feita por mim e, eventualmente num caso ou outro coisas mais básicas como arroz, açucar, etc... depende tb da ligação que se tem com a família em causa e as necessidades de que têm, creio que é geral haver um familiar ou outro que passa maior necessidade e uma vez que ajudamos todos os anos, à porta do supermercado, pessoas que não conhecemos e nunca sabemos se será bem entregue, então ajudamos os nossos, é esse o espírito de família (todo o ano) e o espírito do natal.

Espero que a minha sugestão seja útil para alguém ... um excelente natal!!!

Titi

Maria Oliveira disse...

Olá,vim conhecer seu cantinho e amei,já estou seguindo!
Parabêns pelo Blog e sucesso pra ti!

Faz uma visitinha no meu Blog!
você será muito bem vinda e se quiser seguir também,sinta-se em casa!
Beijinhos no core!

http://umamulherbemvestida.blogspot.com

Related Posts with Thumbnails